24 janeiro 2011

Bônus FAIRYLAND - POV Jasper


Pela janela do quarto de núpcias,  eu observava a neve caindo suavemente numa típica noite de solstício de inverno.
O vento , de vez em quando , espalhava  os flocos de neve  fazendo com que uma confusão de cristais de gelo batesse nos vitrais coloridos.
Ergui minha mão e a coloquei sobre o vidro ,observando que os minúsculos cristais agarrados na janela derretiam ao contato do calor do meu corpo  .Era dessa maneira que meu coração se  sentia  : um músculo antes frio , derretido diante do calor de uma fada minúscula, sensual e atrevida que se encontrava na cama.
Virei-me para ela como se  ela fosse o sol e eu uma planta que precisava de seus raios para viver e crescer.Como um girassol que acompanha o astro pelo céu de leste ao oeste.Até o fim.
“Alice”
Meu solzinho.
Só de pronunciar seu nome meu coração batia apressado e meu corpo reagia.Inúmeras reações químicas realizadas no meu cérebro modificando meu ser para sempre, apenas por ela.
Desde pequeno fui criado para ser um futuro rei de Winterland , o que exigia total dedicação aos assuntos do reino e sem tempo para diversão.Porém, sendo o mais novo  sempre tive que concorrer para ter a atenção de meus pais com James e Caius.Ambos eram extremamente competitivos e terminei por sair do centro de disputas entre os dois.Amava os livros e as ciências e logo enveredei por estudar física, química e mecânica.O que absorveu grande parte de minha vida, até conhecer minha prometida.
O rei Peter há tempos queria que o casamento se realizasse logo com o desejo de que esposa e filhos me retirasse daquela concha onde eu vivia entre a biblioteca e o subsolo do castelo , onde realizava meus experimentos e criações.Mulher e filhos não estavam nos meus planos por um bom tempo.
Sim.É claro que desde pequeno eu sabia do contrato que nossos pais haviam feito de unir os dois reino me casando com uma princesa fada.A mais nova, princesa Alice.
Meus irmãos sempre falavam da minha boa sorte por estar comprometido com uma fada.Fadas eram da espécie mais próxima geneticamente dos elfos e eram tão sensuais como nós.Quase todo macho elfo fantasiava em se deitar  com uma.
Eu achava que casamento , filhos e uma fada em minha cama era uma distração que não poderia ter até...aquele dia que a vi a primeira vez.
“-Jasper...essa é a princesa Alice de Heavenland...sua futura noiva! -  nos apresentou Caius.
Quando a realmente enxerguei  não vi somente  a beleza perfeita dos seus traços, os olhos verdes brilhantes de sagacidade e curiosidade mas por uma fração de segundos enxerguei sua alma e por alguns instantes ela cantou pra mim se revelendo a minha outra metade.
-Me desculpe, princesa ...? – me chutei mentalmente quando notei que estava tão absorto com aquela descoberta que não lembra do nome dela e nem do meu, tamanha era a intensidade das revelações.

-A-li-ce   repeti pausadamente para que meu cérebro registrasse e fosse marcado à ferro em meu coração o nome da minha eleita.
Vi que ela era tímida e puxei delicadamente sua mão do rosto e me prendi em seus olhos e depois em sua boca.Seria falta de decoro se eu a beijasse na frente de meu irmão sem antes realizar a cerimônia de noivado?
Me controlei , estranhando meu comportamento mas, algo me atingiu violentamente quando na ânsia de provar seu gosto a toquei em sua mão e levei aos meus lábios.Fechei meus olhos e inspirei profundamente antes de levar a pele delicada e cremosa a boca.Toquei-a com a ponta da língua e desejei jogá-la no chão e lambê-la em toda sua extensão para apagar meu desejo pelo seu gosto.
Até que um cheiro de jasmim, chuva molhada e mulher morna me deixou intrigado e inspirei profundamente .Mas, antes de perceber que a pequena fada havia soltado sua essência entre dois elfos ,eu já estava tomado pela loucura de tê-la e ao olhar para Caius desejei matá-lo .O meu próprio irmão.A fada era só minha e eu não a dividiria com ninguém.
Com um louco possesso a tirei de perto de Caius e de todo macho a metros de distância da minha pequena.Me considerei um fraco e fiquei repetindo pra mim mesmo que era só uma reação química e que eu era mais forte que as emoções e os desejos.
Tentei me afastar dela e perdi as contas de quantas vezes cheguei a vias de possuí-la feito um louco.Assim, durante o noivado e sua permanência no castelo ficávamos separados e eu vivia trancado no subsolo literalmente na “mão” por causa dela.Mas, quando saia mais duro ainda quando captava sua essência entre os livros na biblioteca.
Depois da guerra ,eu que implorava por um casamento pois cada vez mais Alice ficada colada em mim e exigente de atenção e carinhos me pondo louco.
Um gemido vindo da cama  me comoveu e saí apressado da janela e me pus de joelho ao lado.Verifiquei sua respiração e a temperatura de sua pele e notei sua testa formar um “V” de preocupação ou por sentir algum incômodo.Ela piscou os olhos e os abriu surpresa sorrindo em deleite.
-Está bem, sol? Está machucada? – perguntei preocupado alisando suas bochechas e tentando decifrar o que ela pensava.
Ela balançou a cabeça e suspirou tremendo.
-Só frio...vem me esquentar? – ela disse formando em sua boca um biquinho sexy me derretendo.
Retirei meu roupão  e ela levantou os lençóis para que eu a abraçasse sem barreiras.
Meu membro já estava novamente duro.Aliás , desde sua chegada no palácio ele vivia constantemente assim.Mas, não queria exigi-la demais.Ela era tão pequena e frágil!
Alice soltou um gemidinho ao sentir minha ereção entre suas nádegas.
-Desculpe-me – falei sincero – apenas durma e descanse.Não vou incomodá-la! – continuei enquanto beijava seu pescoço agora, bem disponível pelo novo corte de cabelo dela.
Certa vez ,em minhas muitas fraquezas, havia confessado que amava seu pescoço tenro e delicado enquanto dava mordidas suaves.Ela logo exibia orgulhosa seu pescoço com o novo corte.Também, amava os cabelos longos que ela os mantinha antes do casamento.Já amava a minha pequena fada e fiquei muito feliz quando ela gritou a primeira vez seu amor por mim.
Suspirei em enlevo só de lembrar o quanto me derramei nela só em escutá-la declarar-se em meu ouvido durante seu gozo.
Ela se mexeu novamente e eu permiti que ela ficasse mais cômoda, enquanto tentava refrear minha ereção.Seria impossível , pois ela já afastava os lençóis e se colocava de joelhos ao meu lado.
Nua , era a perfeição.Tão delicada e feminina, mais até que as elfas.
-Quero me “esquentar” de outra forma – ela decidiu e eu a deixei procurar a forma melhor para isso.
Ela deve ter lido em meus olhos a aprovação de ter tomado a iniciativa e cruzei meus braços acima da cabeça.Foi o gesto que ela esperava.Então  levantou-se abrindo as pernas , pondo cada uma ao lado de minhas coxas e foi descendo devagar enquanto eu a assistia.Suas nádegas apoiaram-se nas minhas coxas e ela começou a me tocar , olhando meu membro e descobrindo as texturas e veias.
-Ah, por isso doeu tanto a primeira vez... – ela pensou alto e eu ri.
-Não doerá mais, eu prometo – respondi sorrindo pra ela que assentiu.
Eu já estava pronto pra gozar mas, esperei que sua curiosidade fosse satisfeita.Porém, ela decidiu provar a umidade que saia da ponta.
-Alice! – exclamei entredentes , suspendendo os quadris do colchão.Ela compreendendo levantou-se um pouco e apoiou as mãos no meu peito, olhando para baixo assistindo seu calor me abrigar.Quando estava a metade dentro dela, ela ondulou e gemeu de dor.Eu quis retirar mas, ela me olhou e balançou a cabeça.
Tentou novamente e começou a descer me abrigando centímetro por centímetro.Minha testa estava empapada de suor , tamanha era minha força em não ceder ao desejo de empalá-la completamente.Esperei seu tempo e seu ritmo, até que ela descansou seu traseiro em cima do meu saco.
Ela começou os movimento lentos de retirada e tomada, mas logo se desesperou e gritou:
-Jasper...oh!...Mais forte!...Me ajuda!
Segurei sua cintura e suas mãozinhas seguram as minhas e a obriguei a um ritmo pesado e forte.
-Não deixe ...meus...olhos...- falei pra ela que se esforçava a ficar com os olhos abertos.
-...QUERO – dei uma cravada forte
-...QUE GOZE – mais uma.Seus olhos tremiam...
-...ME OLHANDO – outra cravada.
Ela gritou meu nome se derramando em mim.Meus quadris suspensos por segundos enquanto minha semente batia e penetrava em seu útero.A virei rapidamente, ainda dentro dela e descansei meu rosto em seu pescoço.
Sua pulsação falhou e retornou rapidamente.Ela tomava fôlego aos goles.Eu não estava diferente.
-Eu ...te...amo...meu solzinho! – me declarei a primeira vez nesta noite.A primeira das milhares de declarações por toda minha vida e pela eternidade que eu faria a ela, minha luz.
-Não....mais...que eu – ela respondeu cansada mas , num tom determinado.
A deixei pensar que sim.No entanto, provaria que meu amor era maior.
Seria desafiante mas ,Alice era teimosa  e sempre me surpreenderia ou me faria aceitar suas vontades.E eu como escravo de suas vontades a deixaria ganhar sempre, porque eu finalmente tinha o que sempre quis e não sabia.
Minha fadinha.Meu sol.

 ~~~~Fim~~~~
Pessoinhas, espero que tenham gostado e postarei quarta -feira o EPÍLOGO, ok?
Bjins

8 comentários:

  1. Que perfeitoooooooo
    Nem acredito *¬*
    Esses dois são muito perfeitos!!!
    *Bjox*

    Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  2. adorei o bonus e espero que tenha mais!!!!!!!
    muito e muitos beijos
    gabrielly r wandscheer ou gaby_salvatore

    ResponderExcluir
  3. Adorei o bonus, muito lindo, mas ainda estou esperando o bonus do Jacob com a Leah!

    ResponderExcluir
  4. AAAAAAAAAAAAAAAA =D
    eu amo esses dois...
    mais do que Bellard =P
    muito lindo ^^
    amei...
    xoxo

    ResponderExcluir
  5. Amei,adorei de verdade
    Leia meus blogs tambem,ñ tem fic mas vale a pena
    Poesia de uma jovem
    http://lehpoeta.blogspot.com/

    Memórias de uma bruxa
    http://lloka1994.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. lindinho demais.... "meu solzinho" mt fofo .... eles se completam de maneira única.... por isso tudo é tãããão perfeito!!!!

    ResponderExcluir
  7. Lindooo !!!! Amei a fic e os bônus estão perfeitos.
    Parabèns !!!!!!!

    ResponderExcluir